Menu

Notícias

24

Chocolate industrializado ou chocolate natural?

alex em Notícias

24A indústria paga preço único, e até hoje não implantou um sistema de classificação do cacau que adquire em função da sua qualidade. Para retirar a casca das amêndoas (sementes, grãos) ela torra grandes lotes de cacau a uma temperatura de 120-130°C. Depois de resfriados os grãos seguem através de grandes rolos onde são esmagados para separar a casca do núcleo da amêndoa (chamados nibs de cacau). Grandes sopradores separam então a casca do cacau. Os nibs do cacau torrado, já sem a casca, são então moídos em grandes máquinas, num processo que produz calor intenso.
O processo de moagem liquefaz as gorduras do cacau e o transformam no chamado liquor de chocolate. O produto é resfriado e colocado em grandes prensas onde é feita então a separação da gordura (manteiga de cacau). O material remanescente é comprimido e transformado em bolos (torta) de cacau. A torta é então pulverizada e acrescida com um agente alcalinizador (para aumentar o pH), notadamente o carbonato de potássio, que torna o produto solúvel em água.

Neste ponto o material é vendido para outra indústria*, de bombons e confeitos, a qual adiciona vários ingredientes e compostos químicos para criar seus sabores. Conchagem (assim chamado pelo fato das máquinas originais terem a forma de concha) é um processo adicional usado para misturar de modo uniforme todos os ingredientes utilizados, e refinar o chocolate, eliminando compostos voláteis (onde estão os flavonóides antioxidantes…).

Após o processo o chocolate é re-aquecido a temperatura de 66°C e posto para resfriar em moldes. O chocolate comercial típico contém uma mistura de pó de cacau alcalinizado, lecitina de soja geneticamente modificada, extrato artificial de baunilha, leite em pó e açúcar refinado. Trata-se de um processo que inicia com a mistura de grande quantidade de sementes não selecionadas de cacau, segue com eliminação ou deterioração de ingredientes únicos contidos nos grãos do cacau, e que passa pela adição de contaminantes, restos de insetos, produtos químicos, pesticidas, essências sintéticas, gorduras hidrogenadas, coloríficos, carcinogênicos , etc.

Existe comprovação cientifica de que o leite em pó, normalmente adicionado ao chocolate, bloqueia a capacidade do organismo humano absorver antioxidantes!…

O que afinal, está se fazendo com as amêndoas do Theobroma cacao, o alimento dos deuses?

Chocolate natural

Cacau é sinônimo de chocolate e vice-versa! A amêndoa de cacau contém cerca de 476 compostos quimicamente identificáveis, sendo um dos mais complexos alimentos da face da terra. Isto explica porque não existe chocolate sintético! Todos os valores antioxidantes, minerais benéficos, propriedades neurotransmissoras, de rejuvenescimento, e características saudáveis gerais do chocolate são encontrados nas sementes naturais (apenas desidratadas) de cacau. Cacau in natura contém vitamina C e ômega 6 (ácido lineico), substâncias que não aparecem no chocolate industrializado.

A semente de cacau natural é um dos mais fantásticos super alimentos, devido ao seu conteúdo mineral e propriedades variadas. Muitas das propriedades especiais do cacau são destruídas ou perdidas pelo cozimento (perda de antioxidantes e produção de gordura rançosa), refinamento e processamento feitos na indústria. Com a disseminação do conhecimento, nós estamos agora retornando a alimentação saudável. Consumir este super alimento – o chocolate – exatamente como faziam os guerreiros Mayas e Astecas antes da descoberta da América!

Com a internet, agora você pode, de qualquer lugar do Brasil, adquirir o chocolate natural, o alimento dos deuses – o cacau cultivado e processado com amor – diretamente do produtor para sua casa, pelos Correios!

* As chamadas “fábricas de chocolate”, onde é normal as pessoas desconhecerem o significado da palavra cacau…